terça-feira, 26 de novembro de 2013

Entre luzes
























Confie a mim o teu desejo,

E coloque ao nosso redor estas velas acesas,

Prepare o lençol e aproxime esse pescoço dos meus lábios,

Arrepie esta pele cheirosa, de maneira involuntária,

Envolva os músculos, vagarosamente, todos eles,

Aqueça a alma e, ganhe meus olhos

Num teso obstinado,

Se contorça entre gritos e movimentos brutos e desordenados,

Espanque este peito e risque-o com os seus dentes,

Penetre suas mãos e arranque este coração,

Faça força e friccione este corpo úmido,

Em qualquer parte do meu,

Contraia, sem controle, os músculos enrijecidos e,

Acumule carne sob as unhas,

Chore pelos poros a sua poesia,

Alcance outro mundo na satisfação da libído,

E me ame completamente,

Me abrace com ternura,

Repouse em meus ombros largos,

Umedeça com a língua esses lábios doces,

Assopre e, retire, pelo canto da boca, os cabelos sobre os olhos,

Para que eu possa encontrar o seu sorriso neles,

E volte a viver a nossa poesia!



2 comentários:

  1. Bravo Poeta!
    Ler, sentir, fazer a poesia! A beleza e a intensidade da poesia viva!

    ResponderExcluir